Resenha: O Menino Que Desenhava Monstros

julho 03, 2018

Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos atrás. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo sua mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar. Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais.

Apresentando características como espectro autista e distanciamento de interações sociais, Jack Peter tem também a pele extremamente pálida por não sair de dentro de casa devido ao seu medo de frequentar espaços abertos. Além disso, fala apenas o necessário com seus pais e, quando não está estudando auxiliado por seu pai, Tim, desenha monstros nos mais variados tipos e tamanhos de papéis. Apesar de ser uma criança bem peculiar, Jack Peter tem Nick, filho dos amigos de seus pais, como companhia na maioria dos dias.

E no meio de um pitoresco cenário de inverno, coisas bizarras começam a acontecer e se dá início a um thriller psicológico que parece prometer boas doses de suspense e mistério. Não bastasse Jack Peter jurar aos quatro ventos que há monstros embaixo de sua cama, Tim passa a ter visões de um homem nu e de membros compridos perambulando em meio a nevascas e Holy, mãe do garoto, sente que está alucinando ao ouvir vozes vindas do oceanos. Nick também encontra cadáveres em seu armário e, percebendo que Jack Peter age de modo cada vez mais esquisito, passa a sentir medo de frequentar a casa do amigo.


Esse é mais um daqueles livros que me conquistou assim que observei a capa. A DarkSide Books sempre se mostra impecável nas ilustrações e o uso de recursos da própria história para de certa forma dar vida aos elementos que a constituem são bem reproduzidos na capa desse livro. Monstros desenhados no papel, uma boca cheia de dentes pontiagudos e o título da obra grafado com giz instigam a imaginação e despertam o desejo pela leitura. Além disso, há um extra com páginas em branco para que o leitor possa desenhar os monstros que o perturbam.



Mas não é apenas a capa que conquista o leitor. O Menino Que Desenhava Monstros é uma obra narrada em terceira pessoa que trata, principalmente, de monstros reais, ou seja, monstros personificados pelos demônios e medos dos indivíduos. Não existe nessa obra somente os monstros de pernas compridas e buracos negros no lugar dos olhos, mas também há o medo de Jack Peter em sair para fora da casa, o desespero de Tim e Holy ao se fracassar com o garoto e o fato de Nick ter receito de que seus pais em algum momento voltem a abraçar a tristeza e o luto como acontecera alguns anos atrás.

Apesar de entrelaçar à narrativa um cenário carregado de tensão, frio e solitário da região litorânea do Maine, o autor peca ao não explorar com mais afinco a pitada de terror que a sinopse e a capa procuram carregar. Não é um livro que te fará conferir debaixo da cama antes de dormir. Durante as 252 páginas, há sempre aquela expectativa por um "algo mais" que não surge e justamente por esses motivo a avalio como mediana. O autor poderia ter arriscado mais em alguns momentos e deixado de narrar fatos que não acrescentavam muito para o clima de tensão da narrativa. No entanto, o livro ganha pontos muito positivos com a revelação surpreendente já nas últimas páginas.
Não tenha tanta certeza sobre as coisas que não pode ver. A mente conjura o mistério, mas é o espírito que fornece a chave.

Título: O Menino Que Desenhava Monstros

Autor(a): Keith Donohue

Publicação: Editora Darkside

Gênero: Suspense/ Mistério

Páginas: 252

Alguém aqui já leu esse livro? Deixe nos comentários a sua opinião acerca dele.

Você Pode gostar também

1 comentários

  1. Antes de mais nada, vamos enaltecer o seu layout novo! Está lindinho demais *-* às vezes tenho vontade de colocar mais alguma cor no memorialices, mas gosto dele assim também.

    Bom, esse livro, só por ser da DarkSide Books, já tem lugar na minha wishlist. Por mim, eu teria todos os livros da editora. Já conhecia a premissa, e aprece ser o tipo de livro certo para mim, que amo esses assuntos relacionados a mente. Uma pena você ter dito que faltou "algo mais"; é meio frustrante quando criamos expectativa numa história, e el não nos surpreende :p

    As fotos estão lindas! Beijos :*

    ResponderExcluir