A extraordinária viagem no tempo

janeiro 11, 2018


Antes de mais nada, viagens no tempo pedem por um objeto, luz celestial ou qualquer fenômeno humanamente inexplicável que me levará ao destino planejado. Há o vira-tempo de Hermione, a máquina do tempo construída por algum cientista realmente muito inteligente, a magia que fez Clare de Outlander voltar 200 anos e tantas outras incontáveis hipóteses.

Por mais que o mundo criado por J. K. Rowling me fascine extremamente, eu ficaria muito tempo dando voltas no vira-tempo para chegar no destino tão esperado. O planejamento é algo importante, isso é fato. Por isso, eu daria um jeito de revirar um carro-velho e encontrar a máquina do tempo que deverá estar escondida em meio a tantos objetos esquecidos. Ela estaria sob uma capa empoeirada, mas funcionaria perfeitamente, visto que tinha sido desenvolvida com muito cuidado por um homem que não quis deixar seu nome na história pelos mais diversos motivos.

Destino planejado e máquina do tempo encontrada, a primeira coisa a ser feita é separar algumas peças de roupa de época, mais precisamente condizentes àquelas utilizadas por volta do ano 1890, e talvez eu devesse ter de me deslocar até a Inglaterra, pois uma apaixonada por Jane Austen como eu gostaria de reviver bailes como os descritos em Orgulho e Preconceito e encontrar por acaso um Mr. Darcy ou um Capitão Wentworth em uma esquina qualquer. Vestiria os vestidos volumosos e brancos e teria conversas enriquecedoras com as mulheres dali.

É claro que eu acabaria não ficando muito tempo. Talvez no máximo um ou dois dias. Além de minha saúde ser muito frágil para tempos como aqueles (um pacote de rinite e bronquite definitivamente não ajuda ninguém), o meu encanto por aquela época apenas fica no cenário pitoresco - repleto de árvores, carruagens, bailes, roupas elegantes e homens descritos por minha autora preferida como príncipes. Afinal, as mulheres não tinham muitos direitos e acredito que eu não conseguiria de modo algum me adaptar a isso.


Mas minha viagem no tempo não termina ali. Eu gostaria de embarcar na máquina do tempo novamente e dessa vez conhecer algo mais singelo, mais pessoal. Iria querer ver de perto meus pais quando criança, minha avó quando jovem, o casamento de meus bisavós e a primeira boneca de minha mãe. Mesmo que rápido. Mesmo que eu tivesse oportunidade de apenas apreciar dois minutos ou 30 segundos daqueles preciosos momentos gravados na história. E não, não para por aí, pois eu queria também voltar alguns meses atrás para um dia muito especial em minha vida. Não é o dia mais importante, mas foi um dia em que as coisas mudaram definitivamente. Para algo bom? Talvez alguns possam fazer essa pergunta mim, mas sinceramente eu não saberia responder com a certeza. Acho que eu poderia dizer que foi "para algo que definitivamente me faz ter vontade de sair da minha zona de conforto para estar do lado de uma pessoa".

Você Pode gostar também

0 comentários