Carta perdida no tempo

fevereiro 01, 2018

 

Esse post faz parte do Projeto Perca-se em Ficções. O tema dessa semana era falar o que estava escrito em cartas perdidas de dois amantes dos anos 20 e resolvi escrever algo que revelaria todo o amor que meus dois personagens fictícios sentiam um pelo outro.

"Acabei de embarcar em um trem com destino ao Rio de Janeiro para dar início a um novo capítulo da minha vida. Anseio pelo recomeço, preciso ser sincero contigo, mesmo sentindo que nada poderá apagar as lembranças de um tempo recheado por nós dois. Sinto falta de te encontrar às escondidas e de marcar aquela velha árvore com as nossas iniciais. Almejo também a nossa troca de olhares e as vezes em que o destino nos proporcionava um reencontro na hospedaria de Dona Mercedes. Eu me lembro muito bem de você ajudando os hóspedes a se instalarem ali. Lembro-me de sua total receptividade, sempre com um sorriso no rosto para aqueles que adentrassem o hall e necessitassem de auxílio com as bagagens, e às vezes sustentando um ar de quem estava com fome quando o horário do almoço se aproximava. Eu me lembro de tudo isso, pois foram momentos como esses em que me peguei olhando para ti e me questionando sobre o que estava acontecendo comigo. E por mais que todos possam dizer que é errado sentir tais emoções por ti, logo por TI, preciso dizer que não sinto que o que fizemos durantes esses cinco meses tenha sido errado. Quem pode nos julgar por amar? Eu não acredito que exista alguém... Mas sei que agora é tarde demais para tudo, pois o seu casamento aconteceu nesse sábado e, assim como eu, sei que está tentando seguir em frente. Foi melhor assim, por mais difícil que seja escrever essas palavras, mas foi melhor. Nosso amor estava fadado a nunca dar certo e sei que você entende isso assim como eu. Vamos trilhar um caminho diferente a partir de hoje, porém guardei você para sempre em meu coração (que na verdade é seu). Esse é o adeus mais doloroso e que nunca desejei dar."

Você Pode gostar também

0 comentários