5 dicas de escrita de Marissa Meyer

agosto 29, 2018


Marissa Meyer é uma autora americana de fantasia YA e escreveu sucessos como os livros pertencentes às Crônicas Lunares - Cinder, Scarlet, Cress, Winter e Levana - e recentemente a Editora Rocco publicou o seu mais novo livro, Sem Coração (Heartless). Eu selecionei algumas de suas entrevistas americanas, portuguesas, espanholas e brasileiras e extraí delas dicas de Meyer sobre seu processo de escrita. Espero que auxilie de alguma forma os futuros escritores brasileiros também.

1. ESCREVA POR PRAZER

Marissa Meyer sugere que quando alguém deseja ser escritor precisa se divertir com isso. Enquanto a hora de publicar não chega, ela comenta que é importante apenas aproveitar o ato de contar histórias, inventar personagens que te faça rir e criar mundos para onde o escritor possa escapar. Exige bastante tempo, esforço e prática para aprender a contar uma boa história.

2. QUALQUER COISA PODE SER INSPIRAÇÃO

A autora explicou que sua inspiração para escrever pode surgir de absolutamente qualquer coisa e é trabalho do escritor pegar esses pedacinhos de ideias e moldá-los em uma história. No caso das Crônicas Lunares, Meyer teve inspiração dos contos de fadas e da ficção épica Star Wars. Além disso, a tecnologia, outros livros, revistas e até mesmo pontos da própria história da humanidade se tornaram inspirações. 

3. SE TIVER ALGUMA IDEIA, ESCREVA!

É importante anotar todas as ideias que surgem ao longo do dia. Meyer, por exemplo, tem um bloco de notas e uma caneta embaixo da cama para escrever as ideias que surgem no meio da noite. Isso impede que elas sejam esquecidas e para sempre perdidas.

4. RITUAL DE ESCRITA

Meyer procurou encontrar um balanço entre a escrita e sua vida para dar a si mesma uma espécie de férias (já que a maior parte de seu trabalho é feito em casa).

5. ESCREVER PERSONAGENS HUMANOS

Marissa Meyer tem o costume de escrever personagens autênticos e críveis, para que os leitores possam perceber mais de uma camada deles. Afinal ninguém é forte, corajoso e bom o tempo todo. Todos nós temos fraquezas, medos e um passado. Para ela, a ficção deve mostrar isso. Além disso, Meyer complementa que fazer a coisa certa mesmo quando você está assustado demonstra mais do que a bravura quando nunca se sentiu medo antes.



Você Pode gostar também

0 comentários